fbpx

Dia Mundial dos Animais! Uma data de reflexão sobre o impacto da mão humana aos animais.

Hoje, 4 de outubro, se comemora o dia mundial dos animais. Data essa escolhida da década de 30 do século passado na Europa, em uma convenção de ecologistas. A data tem um sentido, ser o dia de São Francisco de Assis, um amante da natureza padroeiro dos animais e do meio ambiente.

Nessa data de hoje, clínicas e hospitais tem a tradição de convidar os animais de companhia e seus tutores para uma benção.

A vida dos animais em risco!

Mas muito mais que os animais de companhia, como cães e gatos, hoje se comemora a importância de todas as espécies. Devemos celebrar as que são presentes todos os dias alegrando as nossas vidas, aos animais de produção que nos alimentam, e aos que quase nem lembramos, mas que fazem com que nosso universo funcione. Ontem mesmo comemoramos o dia da Abelha, inseto essencial para polinização dos alimentos que consumimos diariamente, e que devido a ações indiscriminadas de pesticidas em lavouras, ou desmatamento, sofrem constantemente mortes em massa.

Lembrar dos animais nesse dia nos levam a uma reflexão do impacto negativo que nossas ações humanada provocam no meio ambiente. Nos últimos anos, aumentou consideravelmente o número de animais emaçados de extinção ou extintos. Em uma década, cresceu 87% a lista de bichos ameaçados de extinção. Em 2008, o Ministério do Meio Ambiente lançou um catálogo com 627 animais em risco. Hoje, o número chegou a 1.173.

O drama dos plásticos no oceano

A cada ano, oito milhões de toneladas do material vão parar nas águas dos oceanos, levando 100 mil animais marinhos à morte, em média, conforme a Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente. Estima-se que até 2050, pode haver mais plástico que peixes nos mares, devido ao grande número de dejetos de hoje e do futuro, associados a longevidade de mais de 200 anos para a degradação desse tipo de material.

A extinção dos habitats

Isso com certeza está ligado principalmente ao desmatamento sem nenhum controle. Segundo dados do sistema Deter-B do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a área em alerta de desmatamento na Amazônia, entre junho a agosto de 2019, teve um aumento de 203,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Nós veterinários, inseridos nesse contexto, devemos diariamente educar e conscientizar todos a nossa volta, a buscar uma vida mais sustentável e em equilíbrio com o meio ambiente, com pequenas ações do dia a dia.

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar