Automação, plataformas digitais e outras inovações estão mudando a natureza fundamental do trabalho. Compreender essas mudanças pode ajudar os formuladores de políticas, os líderes empresariais e os trabalhadores a avançar.

O mundo do trabalho está em um estado de fluxo, o que está causando uma ansiedade considerável, e com boas razões.

Link: https://cdn.pixabay.com/photo/2014/03/22/22/17/twitter-292994_960_720.jpg

Há uma polarização crescente das oportunidades do mercado de trabalho entre empregos de alta e baixa qualificação, desemprego e subemprego, especialmente entre os jovens, renda estagnada para uma grande proporção de domicílios e desigualdade de renda.
Sem presença correta da mídia social, você terá dificuldade em conseguir entrevistas de emprego.

Uma pesquisa recente feita por uma instituição norte americana, relata que a triagem de candidatos com base nas mídias sociais aumentou de 11% nos últimos anos desde 2014. Das empresas entrevistadas, 70% utiliza a as mídias sociais para a triagem em todo o mundo.

Então, onde os empregadores estão procurando e o que exatamente eles estão procurando?

Primeiro, você deve saber que um terço das empresas diz ter alguém na equipe cujo trabalho é pesquisar candidatos online, segundo a pesquisa. Isso significa que os empregadores veem valor no recrutamento social.

Mas mesmo que não tenham funcionários dedicados, os recrutadores e gerentes de contratação ainda estão se voltando para as mídias sociais para verificar os candidatos .

Eles também estão usando cada vez mais um dos principais mecanismos de busca, como Google, Bing ou Yahoo, para pesquisar candidatos pelo nome para ver o que aparece.

O que os empregadores estão procurando?
Ao pesquisar sites de redes sociais, os empregadores pesquisados ​​relataram quatro coisas principais pelos quais estão atentos:

— Informações que apoiam as qualificações de um candidato.

— O profissionalismo da persona online de um candidato.

— O que outras pessoas estão postando sobre os candidatos.

— Uma razão para não contratar um candidato.

Os empregadores podem encontrar essa informação?
Pode ser mais fácil do que você pensa. Mais de 50% dos empregadores relataram encontrar informações sobre perfis de mídia social que resultaram na não contratação de um candidato.


Link: https://cdn.pixabay.com/photo/2018/04/27/03/51/technology-3353701_960_720.jpg
No entanto, há boas notícias. Quarenta e quatro por cento dos empregadores declararam ter encontrado informações on-line que os levaram a contratar candidatos.

Quais fatores levam à rejeição?
Aqui estão as 11 principais coisas que os empregadores disseram que fizeram com que rejeitassem os candidatos, de acordo com o CareerBuilder:

— Mensagens ou informações provocativas ou inapropriadas.

— Fotos bebendo ou usando drogas.

— Comentários discriminatórios relacionados a raça, gênero ou religião.

— Falar mal de sua empresa anterior ou colega de trabalho.

— Mentindo sobre qualificações no seu perfil.

— Habilidades de comunicação ruins.

— Links compartilhados para o comportamento criminoso.

— Compartilhando informações confidenciais de empregadores anteriores.

— Nome do perfil ou identificador não profissional.

— Mentiu sobre uma ausência.

— Postando com muita frequência assuntos sem fundamentos.

 

Tenha em mente quem pode ver o que você postar
Além do conteúdo que você compartilha on-line, pense também em quem pode visualizá-lo ou compartilhá-lo.


Link: https://cdn.pixabay.com/photo/2015/01/27/20/40/notebook-614213_960_720.jpg

Se você está conectado a colegas de trabalho nas mídias sociais, não quer colocá-los em uma posição desconfortável compartilhando informações que sejam muito pessoais ou enganosas, como fotos de vocês durante o horário de trabalho.

 

Deixe um comentário